O Que Eu Trouxe na Bagagem: Jovem ganha bolsa nos EUA e cria projeto para ajudar comunidade

A história do jovem Gerson Saldanha é daquelas que inspiram e transmite garra e vontade de conquistar o mundo. O carioca de 25 anos, filho de pedreiro e dona de casa, criou o projeto O Que Eu Trouxe na Bagagem.

Em 2009 ingressou na Marinha como soldado e se formou como soldado-barbeiro, função que cumpriu entre 2012 a 2015. Um dia encontrou um recorte de jornal que foi decisivo em sua vida, lá estava anunciado um concurso cultural para ganhar uma bolsa de intercâmbio nos EUA. Para ser escolhido era preciso fazer uma redação em inglês, Gerson aprendeu a dominar a língua de forma autodidata, escutando músicas, vendo séries e filmes internacionais. Ele só teve aula de inglês no ensino médio, mas isso não foi empecilho para ele participar do concurso.

E, como dizem, a sorte bateu na sua porta e aquele jornal não era obra do acaso. O garoto conseguiu a bolsa de intercâmbio! Ele sabia que tinha chances, e conta que recebeu uma inspiração divina para escrever seu texto. Ele conta: “Quando veio o resultado, a ficha não tinha caído e, para falar a verdade, dois anos depois parece que ainda não caiu”.

Seu primeiro intercâmbio foi para Seattle, em 2013, foram 3 semanas. Depois, ele fez mais um para Londres, de 2 semanas, em 2014 e outro para Nova York de um mês, em 2015.

Depois de todas essas experiências a vida de Gerson mudou: “Passei a ver como as coisas funcionavam bem lá fora e queria trazer um pouco disso para cá! Só que o que mais me chamou a atenção foi a quantidade de informações que eu peguei com os brasileiros que encontrava por lá, sobre bolsas de estudos gratuitas, ou financiadas por terceiros. Queria explanar isso aqui na minha comunidade”, ele relata.

E assim nasceu o projeto “O Que Eu Trouxe na Bagagem” que consiste em levar até as escolas públicas do Rio de Janeiro informações de intercâmbio que podem ser acessíveis a todos e que tem diversas bolsas de estudo espalhadas por aí. O que falta não é o dinheiro e sim informação.

No início, em 2015, Gerson ia nas escolas e fechavam a porta na “sua cara”, achavam que ele ia vender algo. Seu objetivo era palestrar para os adolescentes para que eles ficassem sabendo das oportunidades que rolam pra estudar fora.

Seu público é para a galera do ensino médio, e eles adoram! O jovem conta histórias engraçadas, perrengues que passou com choque cultural, entre outras coisas que fazem os estudantes se sentirem inspirados a fazer o mesmo.

Além, das palestras ele também criou um canal no YouTube para divulgar informações de intercâmbio e uma página no Facebook (aqui).

 

Deixe uma resposta